Portal Médico
Esqueci a senha
Buscar:

Notícias

Doença renal e obesidade

Por Dra. Mariana Nogueira Coutinho - CRM/AL 6766 / Nefrologista da UNIRIM

Estudos mostram que obesidade é uma das principais causas das doenças renais

A obesidade no Brasil é uma crescente e vem causando grande preocupação na sociedade, em especial na classe médica. Tanto o sobrepeso quanto a própria obesidade, quando o Índice de Massa Corporal (IMC) é maior ou igual a 30kg/m², podem provocar diversos tipos de doenças, entre elas a doença renal crônica, que é caracterizada pela perda progressiva e irreversível da função renal.

Segundo a nefrologista Mariana Coutinho, a obesidade está associada ao risco de doenças metabólicas, como diabetes tipo 2 e hipertensão arterial, que também são as principais causas das doenças renais. “Em indivíduos afetados pela obesidade os rins são sobrecarregados, filtrando mais sangue que o normal para satisfazer as exigências metabólicas do aumento do peso corporal, sendo a obesidade por si só, fator de risco importante para desenvolvimento da doença renal crônica, independente do indivíduo possuir outras comorbidades”, explica.

Estudos realizados pela Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) em 2016 mostram que a obesidade cresceu 60% em 10 anos, estando 54% dos brasileiros com sobrepeso e 19% obesos, o que coloca a obesidade como uma epidemia mundial. “O paciente que é obeso, diabético e hipertenso tem elevado risco de desenvolver doenças renais crônicas e progredir para doença renal crônica terminal, precisando de terapia renal substitutiva, entre elas: hemodiálise, dialise peritoneal ou transplante renal”, adverte Mariana.

A nefrologista explica ainda que a obesidade é fator de risco para nefrolitíase (cálculo renal), pois deixa o pH urinário mais baixo e relaciona-se com a liberação na urina de maior quantidade de oxalato, ácido úrico, sódio e fósforo. Outra condição que acomete o rim é a glomerulopatia associada à obesidade, tendo sua incidência aumentada dez vezes nos últimos anos. “A unidade funcional do rim chama-se glomérulo, nele ocorre a filtração do sangue. Doenças deste compartimento são denominadas glomerulopatias e podem levar a grande perda de proteína na urina, ocasionando inchaço no corpo, hipertensão e perda da função renal.”, ressalta.

Pela relevância deste assunto, em 2017, o Dia Mundial do Rim teve como tema: “Doença Renal e Obesidade. Estilo de vida saudável para rins saudáveis”.  A campanha promoveu a educação sobre as consequências da obesidade e sua associação com a doença renal, defendendo estilo de vida saudável e políticas de saúde que tornam comportamentos preventivos uma opção acessível, visto que a obesidade é um fator de risco modificável para doença renal. Com a simples realização da dosagem da creatinina, que é um exame de sangue, e exame de urina, pode-se detectar precocemente alterações da função renal.

Estudos mostram que a obesidade também aumenta a incidência de vários tipos de câncer, porém vale destacar a relação dela com o câncer renal. Em grande estudo populacional, observou-se que 17% dos cânceres de rim de homens e 26% dos cânceres de rim de mulheres eram atribuídos ao excesso de peso. “Por isso, é fundamental que as pessoas cuidem da alimentação e façam exercicios físicos. Mais do que uma questão estética, é uma questão de saúde ”, finaliza Mariana Coutinho.

CNPJ: 01.454.407/0001-51
Dr. Ricardo César Cavalcanti
CRM: 2562

Endereço

Av. Ariosvaldo Pereira Cintra, 152

Gruta de Lourdes - Maceió/AL

CEP 57052-580

Telefones

(82) 2123.3456

(82) 2123.3499

Redes Sociais


Portal do Colaborador

ENTRAR